BLOGGER TEMPLATES AND Gaia Layouts »

4 de nov de 2011






Parece que finalmente chegou AO FIM o Julgamento de Conrad Murray.

O Julgamento irá entrar em recesso amanhã e deve voltar na quinta, mas na quinta-feira eles irão apenas revisar o que já foi dito.

De acordo com a TMZ os jurados não querem voltar ao Tribunal na segunda-feira, então sendo assim existe a chance de 99,9% de o resultado do Julgamento sair ainda na sexta-feira.

Porém sabe como né? Eles adoram enrolar.

Enquanto discutimos aqui sobre o futuro de Murray, a família de Michael está promovendo o lançamento de um documentário sobre a vida de MJ.

Putz! Não tinha outro período para fazer isso?

E depois é eu quem sou “insensível”…

Não sejam hipócritas!

É realmente isso que um fã quer? Aposto que 99% querem Murray preso! É isso que um fã gostaria de ver.

Sabe porque as pessoas ignoram as coisas? Porque elas têm medo de acreditar! Elas já olharam os fatos, ficaram confusas, pensativas, mas então ignoram. Assim é mais fácil? A resposta é a desgraça da pergunta.

Tito e Rebbie Jackson estiveram HOJE dando uma entrevista enquanto divulgam o documentário, e falaram a respeito do vicio de Michael:

“ LONDRES – Dois dos irmãos de Michael Jackson disseram que tentaram intervir para evitar o seu abuso de drogas, mas não conseguiam chegar perto de seu irmão por causa de sua equipe de segurança.

Tito Jackson disse que a equipe de segurança seu irmão, agiram como se ele fosse o presidente dos EUA, e deixam ele longe de sua família. Ele diz que seenvolvia em brigas físicas com a segurança, e às vezes era impedido de entrar na casa de Michael.

Os Jacksons estão em Londres para promover quarta-feira, a estréia de um documentário sobre a vida de Michael

[...]

Eles continuam ajudando Murray, e eu não canso de repetir isso aqui.

Como posso pensar o contrário quando o argumento da defesa de Murray é que MJ era viciado em remédios, e então vem a família e repete a mesma coisa?

Oh!

Bem,

Nesse vigésimo primeiro dia do Julgamento, Dr. White continuou dando o seu depoimento.

Eis que surge de novo Dr. Steven a pedido de promotoria.

Leia:



Os advogados de defesa de Conrad Murray encerraram sua participação no julgamento do médico nesta terça-feira (1º). A última testemunha convocada por eles foi o médico especialista em Propofol Paul White. Havia a espectativa de que Murray depusesse, mas isso não ocorreu.

A promotoria, que acusa o médico pela morte acidental do cantor Michael Jackson, ainda chamou novamente para depor hoje o médico Steven Shafer, também especialista em Propofol. Ele mostrou dados de uma pesquisa que havia feito sobre os níveis do anestésico encontrados na urina de pacientes que foram sedados. Comparando a pesquisa com a quantidade do remédio encontrada na urina de Jackson, Shafer concluiu que ele tomou mais Propofol do que os 50 mg citados pela defesa.

O julgamento, que já dura cinco semanas, entra em recesso nesta quarta-feira (2) e volta aos trabalhos na quinta-feira (3), quando o juri verá um resumo do que foi apresentado e conhecerá as regras do julgamento. O site “TMZ” diz que “uma vez que os jurados odeiam voltar ao julgamento às segunda-feiras”, é possível que a sentença saia na sexta-feira (4).

Para a promotoria, Murray é culpado da morte de Michael Jackson por negligência. A defesa do médico diz que ele é inocente, e que foi o cantor quem injetou mais 25 mg de Propofol em si por conta própria.

Se for considerado culpado, o médico pode ser condenado a até quatro anos de prisão e a perda de sua licença de médico.

[...]

Resumo de tudo isso?

Enquanto Dr. White diz que Michael recebeu pouca quantidade de propofol, sendo o suficiente para causar insônia, Dr. Steven volta para bater de frente com ele, e diz que Murray injetou 50 mg em Michael Jackson.

Conclusão?

Nenhuma!

É esperar para ver…

Essa dualidade de Ego X aula de propofol parecia mais auto promoção dos dois, do que informações sobre a morte de Michael.

Um diz:

- “Na minha pesquisa…”

Outro diz:

- “Em um artigo que li..”

Damn!

Sem contar nas contradições..

Dois fatos importantes aconteceram hoje:

- Murray decidiu não falar no Tribunal

Jura? E alguém realmente achava que ele iria falar?

- O Julgamento entra em recesso amanhã, mas volta dia 03 de novembro que será o último dia.

Hmmmm…

O curioso é que dia 03 de novembro de 1956, o “ Mágico de Oz” passou pela primeira vez na televisão.

Apenas coincidência?
É engraço que por trás de algo sempre tem outra coisa, que puxa para uma outra coisa e por ai vai. E essa “coisa” sempre tem relação com a Hoax Death.

Enquanto os fãs me “criticam” por achar tudo isso “divertido”, La Toya diz para assistir o filme “O Ilusionista” onde no final a personagem que supostamente morreu…. volta.

WTF!

Sobre isso ninguém pensa..

#reflita

Por fim,

Uma mentira sempre vem no encalçe de outra

Se você não consegue ser diferente, então você está condenado.

Michael is alive! 

Fonte: Mulheres Luxo






Quando eu finalmente achei que o Julgamento chegaria ao fim, os promotores solicitam mais alguns dias, enquanto Murray tem até amanhã para decidir se vai ou não depor.

Damn!

Por outro lado,

Seu fizemos descobertas valiosas foi mais por ter paciência, do que ter qualquer outro talento.

Não concorda?

Quero dizer o “supor” é bom, mas o descobrir é mais gostoso ainda.

No último post falei a presença do nome errado de Murray, onde colocaram como Conrad “W” Murray. Lembra?

Fui pesquisar por esse nome; afinal não se trata do mesmo Murray; até que encontrei esse nome registrado em um túmulo no cemitério de “Sutherland Springs”

Ou seja: é o mesmo nome de alguém que morreu 





#Amazing!

Coincidência?

Eu poderia responder que sim, se o nome de Murray não estivesse ERRADO.

Onde foi parar o “Robert” do nome de Murray?

E o Conrad “W” Murray tem quase a mesma idade de Murray, assim como nasceu no mesmo mês de Michael.

Hmm…achei curioso.

#reflita

Então,

Não tivemos nada de “grandioso” nesse dia de hoje, mas como estamos aqui para discutir, então vamos ouvir aquilo que já caiu na mesmice:

Contradições marcam depoimento de especialista no julgamento de MJ
Um depoimento repleto de irritabilidade por parte da promotoria e contradições por parte da testemunha de defesa marcou a manhã desta segunda-feira – tarde no Brasil – no julgamento do Dr. Conrad Murray, acusado de ter sido responsável pela morte de Michael Jackson.

Em seu terceiro dia no tribunal, Paul White, médico-especialista em sedativos escolhido pela defesa como sua última testemunha no tribunal, voltou a cravar sua crença de que o cantor teria sido o responsável pela própria morte, apesar de diversos artigos e publicações suas dizerem justamente o contrário.

O maior exemplo disso é um capítulo escrito por ele no livro do colega Steven Schafer, no qual recomenda uma série de cuidados para a aplicação de sedativos em pacientes. Entre as exigências básicas, está a anestesia monitorada – “a forma mais pura” desse tipo de procedimento, segundo o texto -, que inclui equipamentos propícios para a ressuscitação do paciente em caso de parada cardíaca, higienização total do ambiente e auxílio de uma equipe formada por profissionais anestesistas especializados. Ou seja, tudo aquilo que Conrad Murray não fazia.

“De acordo com o seu artigo, não seria incorreto aplicar o Propofol em um quarto particular de residência?”, indagou um dos representantes da promotoria sobre o fato de o anestésico ter sido dado ao cantor diariamente, durante dois meses, em sua própria casa, em Los Angeles. “Mas o texto fala especificamente sobre a aplicação de anestesia em cirurgias, não como sedativo regular”, retrucou White.

A acusação, então, insistiu, como fez durante todo o depoimento, questionando se o médico aplicaria o anestésico sem cumprir ao menos o mínimo desses cuidados. “Definitivamente, não a aplicaria”, respondeu, enfático, White, contrariando o que a defesa dele esperava.

O promotor foi mais longe e perguntou se White aceitaria ser o médico particular de Jackson, como foi Conrad Murray por tanto tempo. Mais uma vez, a testemunha foi direta, rechaçando completamente a possibilidade de fazer algo do tipo, não só pela exigência de tempo e responsabilidade que o cargo lhe exigiria, como pela falta de recursos materiais disponíveis na residência do paciente para tanto.

Firmeza
Mesmo demonstrando opiniões profissionais bastante contrárias às de Murray, White manteve firme sua crença de que o acusado não teria tido culpa na morte de Jackson. Sem citar o procedimento do médico no tratamento do cantor, a testemunha defendeu a tese de que o astro pop teria se auto-medicado com o Propofol.

“Não acho que o senhor Jackson quisesse se machucar ou qualquer coisa do tipo. Para mim, o Dr. Murray colocou a dosagem numa seringa, a deixou no quarto e foi telefonar. Ele (o cantor), no desejo de cessar sua dor e desconhecendo os perigos que o intervalo entre uma aplicação e outra poderiam lhe causar, acabou se auto-medicando”, teorizou.

O discurso apresentado por White foi exatamente o mesmo daquele contido na carta que entregou meses antes do julgamento aos advogados de ambos os lados, na qual defendia a tese de culpabilidade do cantor em sua morte. Para ele, a teoria de que Murray teria aplicado uma dose fatal em Jackson não faz sentido, pois o médico só o faria se realmente quisesse fazer um mal ao cantor, “o que não teria sentido”.

Fonte: Terra

[...]

Jura que têm contradições ai?

Só esqueceram de dizer que TODOS os depoimentos têm contradições.



Aiii!

Até quando Dr. White vai continuar dando seu depoimento? Está certo que ele é “genial”, mas ele vai continuar repetindo até quando seus artigos e pesquisas?

O resumo de todo esse “mimimi” é apenas um: Murray errou sim, mas Michael Jackson teve 80% de culpa em sua própria morte.

Me parece que o próprio argumento de que MJ se matou, tornou-se mais claro e viável. (Mesmo eu achando um absurdo).

O que eu quero dizer é:

- Até aonde vai a culpa de Murray, e entra a culpa de Michael?

Murray nunca matou um paciente, assim como nunca foi acusado de tal coisa.

Errar é humano?
Então,

Sai a notícia de que Dr. White teria recebido U$ 10.000 dólares para depor a favor de Murray, e que também teria recebido um convite da promotoria:

Dr. Paul White, anestesista especialista em Propofol, disse nesta segunda-feira (31) que recebeu US$ 11 mil (cerca de R$ 19 mil) para depor a favor de Dr. Conrad Murray, médico de Michael Jackson. O especialista também contou que o promotor David Walgren o procurou para ser testemunha de acusação, mas ele já estava comprometido com os advogados de defesa.

[..]

E devido a isso eu vi inúmeros fãs descabelando o cabelo, assim como achando um cúmulo Dr. White receber esse valor.

Oh Guys!

Por que isso?

Pelo que eu sei uma testemunha recebi sim dinheiro para testemunhar, e isso se baseia no tempo que ela irá perder ao fazer isso. Afinal, 3 dias em Julgamento são 3 dias perdidos no trabalho. E todos sabem que você é obrigado a depor, quando é solicitado pela Justiça.

Então eles calculam esse valor baseando no quanto você está perdendo, na distância do Tribunal até sua casa e por ai vai.

No Brasil é:

A gratificação de testemunhas em Massachusetts é de USD 6.00 para cada dia em que a testemunha comparecer ao tribunal, mais 10 centavos por milha viajada entre o domicílio da testemunha e o tribunal, ida e volta. Se a testemunha trabalha ou tem negócios na cidade onde o tribunal está localizado, os 10 centavos são pagos com base na distância do local de trabalho da testemunha até o tribunal. A gratificação de testemunha e as despesas de locomoção devem ser pagas antes da testemunha comparecer ao tribunal.

Na Califórnia:

Witnesses subpoenaed for any deposition or hearing are entitled to the following fees and mileage, payable in advance:

(1) Witness fee for each day’s actual attendance of thirty-five dollars ($35);

(2) Mileage actually traveled, both ways, of twenty cents ($.20) a mile;

(b) A party who subpoenas a peace officer as listed at Government Code Section 68097.1 shall reimburse the public entity for the full cost to the public entity incurred in paying the officer his salary or other compensation and traveling expenses for each day that such officer is required to remain in attendance. The amount of one hundred and fifty dollars ($150), together with the subpoena, shall be tendered to the person accepting the subpoena for each day that the officer is required to remain in attendance pursuant to the subpoena. If the actual expenses should later prove to be less than the amount tendered, the difference shall be refunded; or if the actual expenses should later prove to be more than the amount tendered, the difference shall be paid to the public entity by the party at whose request the subpoena was issued.

Então se Dr. White está recebendo U$ 10.000 dólares, isso é mais do que direito dele.

Bem…me desculpa parecer meia “breve”, mas HOJE não vejo nada que nos exija mais do que 10 minutos de reflexão.

Eu sei que estamos cansados..

Por outro lado dizem por ai, que o sentença de Murray irá sair na semana que vem.

Sexta-feira eles disseram que ia acabar hoje, mas hoje decidem trabalhar mais alguns dias.

Ou seja:

Eles colocam uma abóbora no Julgamento, dizem que o Julgamento vai acabar no Dia de Halloween, e quando chega esse dia resolvem prolongar?

Por que isso?

E falando em Julgamento, quero finalizar com uma observação que achei por ai.

Veja a similaridade da imagem que aparece nos intervalos do Julgamento, com a estampa da roupa de Michael em seu último cd.



WTF!

Apenas coincidência?

A capa de “Michael” vem com tantos sinais, que poderia ser uma ótima inspiração para o contexto de um livro.

Por fim,

Há na loucura um prazer que só os loucos conhecem

Não concorda?

Michael is alive! 

Fonte: Mulheres Luxo

30 de out de 2011





Olá boa noite!

Tudo bem com vocês?

Antes de mais nada eu quero compartilhar algo incrível, mas peço que por favor não me critiquem se não concordarem comigo.

Hoje estive a trabalho e conhecimento, em um Fórum de blogueiros internacionais, e tive a oportunidade de presenciar as palavras do porta voz do WikiLeaks.

Eu não quero alongar esse assunto, mas eu quero muito que você reflita seriamente sobre o que ele disse, pois nós beLIEves somos o efeito colateral daquilo que ele defende:

= a manipulação da midia
Com um lápis na mão eu anotei:

“A midia tradicional como a televisão, manipulou informações a nosso respeito, e chegou a publicar que um de nós teríamos morrido”

“Midia tradicional manipula as informações quando o assunto é governo, então vem a internet para nos libertar e proclamar a democratização”

“É ingenuidade achar que as informações da midia tradicional estão sem erro”

“Sofremos ameaça de morte quase todos os dias”

“Quando o governo sentir que não pode mais controlar as coisas, eles irão acabar com a internet”

Resumo de tudo isso?

Existem inúmeras informações que o governo oculta da sociedade, assim como manipula informações que a midia irá passar. Por que? Pelo simples motivo que a midia é “amiga” do governo.

Como podem observar acima, o próprio governo forjou a morte deles e jogou isso na midia, para acabar com a ameaça que eles representavam.

Sem contar que prenderam WikiLeaks porque representava “perigo”, mas como não existe na constituição uma forma de condenar o que ele fez, o acusaram então de assédio sexual.

Ou seria porque ele sabe demais? #reflita!

Então,

Por que as pessoas ainda acham que Michael Jackson está fazendo algo de errado, quando o próprio governo é um lixo manipulador, e que forja a morte de terceiros?

Oh Guys!

Não sejam tão ingênuos

Entender a idealização do WikiLeaks, é entender a importância da nossa crença.

Bem,

Então vamos direto ao assunto?

Hoje era para ser o último dia do Julgamento de Murray, mas parece que eles adiaram o final para segunda-feira

Ah…

E você se perguntou o porque disso?

Sim, eu me perguntei

O que vimos ontem aqui?

Uma abóbora de Halloween apareceu ontem no Tribunal, e logo em seguida sumiu diante das câmeras.

“Curiosamente” segunda-feira é dia 31 de Outubro, quando é comemorado o dia de Halloween.

Então,

Esse seria o motivo da abóbora ter aparecido em um Tribunal, e o mesmo ser adiado para segunda-feira?

Seria apenas “coincidência” se não fosse essas observações que a Ana fez, e que faz a abóbora definitivamente não ser uma simples “homenagem”

O julgamento que acabaria hoje dia 28/10/2011, é a mesma data que foi a estreia do filme This is it; dia 28/10/2009, assim como o Julgamento que começou dia 27/09/2011, que foi o mesmo dia que começou a venda de ingressos de This is it; dia 27/09/2009. 

Então,

Eles adiam o último dia do Julgamento para segunda-feira; dia 31 de Outubro comemoração do Halloween, sendo que ONTEM tinha uma abóbora em frente as câmeras?

Apenas coincidência?
WTF! 

Desculpa, mas eu não consigo ignorar isso.

Qual foi a justificativa para adiarem?

Leia:

Dr. Paul White: anestesita e especialista em propofol



Sim, ele voltou para terminar seu depoimento.

Michael Jackson se matou
A batalha entre peritos no julgamento de Conrad Murray, médico de Michael Jackson acusado pela morte do cantor, tomou um novo rumo na noite desta quinta-feira, quando os advogados da defesa apresentaram como prova uma simulação de computador programada por um especialista médico. O software teria produzido novos dados sobre o que matou o astro pop.

Anestesista e especialista de propofol Dr. Propofol, Paul White – última testemunha da equipe de defesa – disse hoje ao júri que ele acredita que Michael Jackson se matou por auto-injeção de propofol.

A promotoria argumentou que Murray tinha dado ao MJ propofol, resultando em uma overdose acidental que matou o cantor.

Mas o Dr. White disse que não havia nenhuma evidência, de que Murray deu propofol a MJ.

É importante notar que Murray admitiu em sua entrevista à polícia, que ele já tinha administrado propofol a Michael nas semanas antes da morte do cantor.

De acordo com White, a evidência na cena sugere Murray era apenas responsável por uma pequena injeção de propofol, mas foi o próprio MJ quem injetou a si mesmo uma dose fatal.

White disse aos jurados que a quantidade de Propofol dada por Murray, foi apenas o suficiente para reduzir a ansiedade e causar um pouco de sonolência.

Ele explicou a razão pela qual havia apenas vestígios de Lorazepam encontrados no estômago de MJ, porque o mesmo é absorvido rapidamente pelo sistema digestivo.

Não ofuscado pela acusação, White fez a sua própria manifestação mostrando que não era fácil, mas apenas “perfeitamente seguro” administrar Propofol via injeção.

White disse que se Murray tinha usado uma bolsa de soro para administrar Propofol, não teria havido traços da droga em sacos recuperados na cena; e realmente não havia nenhum.

White disse acreditar que Jackson deu a si mesmo uma dose de Propofol por volta das 11h30, e que combinado com o Lorazepam de 25 mg que Murray deu a ele anteriormente, ele assim se matou.

O médico suavizou sua declaração, dizendo que essa era uma possibilidade não uma conclusão.

Nas palavras do expert, a quantidade de Propofol que Murray admite ter dado a Michael seria suficiente apenas para diminuir a ansiedade do cantor, e causar um pouco de sonolência.

Fonte: TMZ

Jackson provavelmente tomou oito sedativos extras, diz perito
Michael Jackson pode ter engolido oito comprimidos adicionais do sedativo lorazepam na manhã em que morreu, em 2009, disse em depoimento nesta sexta-feira uma testemunha perita. O doutor Paul White, previsto para ser a última testemunha da defesa no julgamento por homicídio involuntário do médico do cantor, doutor Conrad Murray, criticou as teorias da acusação sobre o que aconteceu nas horas antes de Jackson ser encontrado sem vida em sua cama.

As autoridades concluíram que Jackson morreu em 25 de junho de overdose do anestésico propofol, com lorazepam contribuindo para a morte. Murray admitiu ter dado a Jackson propofol e duas injeções de dois miligramas cada de lorazepam para ajudá-lo a dormir. Mas a autópsia detectou no corpo de Jackson níveis mais altos de lorazepam.

Usando modelos matemáticos para explicar os efeitos de doses diferentes de drogas, White disse que Jackson pode ter engolido oito outros comprimidos de lorazepam durante uma longa noite insone, elevando o nível da droga em seu sangue ao nível constatado na autópsia. “O fato de haver uma quantidade mesmo minúscula de lorazepam livre (no estômago) é consistente com a teoria de que ele tomou o lorazepam por via oral”, disse White.

O perito criticou o cenário proposto na semana passada por um perito da acusação, segundo o qual Murray pode ter aplicado em Jackson muito mais injeções do sedativo do que admitiu à polícia. White disse que doses tão altas teriam levado o paciente a perder a consciência rapidamente.

“Não posso imaginar ninguém sentado ao lado da cama injetando repetidas e grandes doses de lorazepam em alguém”, disse White. A expectativa era de que White falasse ainda nesta sexta-feira sobre a alegação central dos advogados de Murray: que Jackson teria tomado uma dose extra e fatal de propofol sem o conhecimento de Murray.

Fonte: Terra/Globo

Apenas uma palavra:

I.N.C.R.Í.V.E.L!

Veja bem,

Eu não estou defendendo Murray ou chamando Michael de suicida, estou apenas querendo dizer que a alegação de Dr. White tem sentido, e que a promotoria terá que ser criativa e eficiente para quebrar essa tese

Eles dizem:

White disse que se Murray tinha usado uma bolsa de soro para administrar Propofol, não teria havido traços da droga em sacos recuperados na cena; e não havia nenhum.

“E não havia nenhum…”


Eu fiz um post especialmente sobre o Lorezam, tentando assim achar algum sentido entre as inúmeras contradições sobre isso.

Lembra?

Ficou concluido ali que no teste de toxicologia de MJ tinha uma grande quantidade de Lorazepam, enquanto no relatório apresentado por Steven tinha uma baixa quantidade.

E assim percebemos que Dr. Steven estava afirmando que Murray deu pouca quantidade de Lorazepam, quando ele mesmo disse que deu mais que isso.

Bem,

Parece que agora Dr. White achou um “sentido” naquilo “sem sentido”.

Vamos tentar entender isso,

A contradição do relatório ao denotar que existia uma quantidade muito baixa de Lorazepam, se deve ao fato de que o Lorazepam já teria sido absorvido pelo próprio corpo de Michael, assim como “prova” que MJ tomou sozinho esses remédios; no caso via oral.

Essa é a explicação pela qual no exame toxicologico essa quantidade está em alta, enquanto no relatório está em baixa quantidade?

Eu aceitaria isso, se eu achasse normal não fazerem todos esses exames ao mesmo tempo.

Não deveria? Eles deveriam representar o mesmo resultado, pois DEVERIAM ser coletados na mesma hora

Certo? Posso estar errada.

Bem,

Então Murray assumiu que deu 02 mg de Lorazepam a MJ, causando assim uma pequena insônia no mesmo.

Lembra?

Dr. White disse ontem que demerol causa insônia, e que o propofol pode ser usado para combater essa insônia.

Mas…

Eles dizem que MJ se matou tomando 08 comprimidos de Lorazepam, e isso explicaria SIM a alta quantidade presente no exame toxicológico.

E isso fica mais “intrigante” quando lembramos que essa quantidade de 08 comprimidos está baixa no relatório apresentado por Dr. Steven, porque os 08 compridos já teriam sido absorvidos pelo corpo, assim como explicaria que isso foi tomado via oral

OMG!

Conseguem perceber?

As dúvidas apresentadas no post de Lorazepam, agora possuem respostas após essas declarações de Dr. White.

Por que eu devo acreditar que Murray deu uma pequena dose?

De acordo com Dr. White se Murray tivesse dado a quantidade de 8 comprimidos conforme apresentado, então Michael teria perdido a consciência muito rápido

Sim, tem sentido!

Dando em intervalos Michael não teria tido essa relação, e se tivesse dado tudo de uma vez, ele teria sofrido essa reação colateral muitas horas antes de morrer.

O que isso significa? Ele teria morrido muito mais cedo, e não no horário que ele morreu.

As dúvidas apresentadas no post de Lorazepam, agora possuem respostas após essas declarações de Dr. White. +1



E pela primeira vez eu vejo algum sentido.

Pense seriamente sobre isso.

É tudo tão “chocante” que até a promotoria pediu mais um dia (DIA DE HALLOWEEN), para analisar a teoria de Dr. White:

Surpreendida pela nova alegação, a acusação pediu ao juiz um novo prazo para estudar o software usado por Paul White, médico especialista no anestésico propofol, que teria provocado a morte de Jackson. Embora tenha mantido o testemunho de White para esta sexta, a promotoria da Califórnia terá até segunda-feira para analisar as informações produzidas pelo programa de computador.

- Este é um material extraordinariamente complicado – disse juiz Michael Pastor. Comentaristas jurídicos opinam que com o prazo extra, o julgamento deve ficar ainda mais atrasado.

Enfim,

Saiu na TMZ que Kathy Hilton esteve hoje no tribunal, para ajudar e apoiar a família de Michael.

Não quero falar muito sobre isso, mas por favor não ignore o que já vimos sobre ela.

Michael morou por um tempo em um dos Hotéis dos Hilton, o que nos leva diretamente a pensar sobre a ligação do 911, o Hotel Beverly Hills e a comemoração do aniversário de Janet no mesmo.

O Hiltons têm uma conexão de longa data com a família Jackson. Kathy ia para a escola com Michael quando ela tinha 13 e ele tinha 14 anos.

Kathy foi ao UCLA para ver Michael e dar o seu adeus. Ela diz que na verdade coçou a cabeça, braços e pernas, enquanto ele estava deitado na maca.

Fonte: TMZ

Outra coisa que quero denotar aqui, é sobre uma observação que fiz em um documento apresentado no Julgamento.

O documento diz que Murray se chama Conrad W. Murray, mas que eu saiba o nome dele não tem “W”. O nome correto dele não seria Robert Conrad Murray?



Tô errada?

Mas o que é um “W” a mais, quando eles erraram tantas vezes o nome do próprio paciente?

Hah! 

As vezes é bom ser pessimista, porque os otimistas não costumam querer mudar o mundo

Ninguém consegue ser neutro. Até o silêncio é uma opinião.

Então,

Por hoje vou me calar

Michael is alive! 

Fonte: mulheres Luxo